Sempre discretos em suas aparições, Gisele Bündchen e o marido, Tom Brady, foram flagrados no último domingo (2) em Miami Beach visitando uma propriedade acompanhados de alguns amigos. De acordo com os jornais, a mansão está localizada na região conhecida como “bunker dos milionários” e foi comprada após o casal vender o apartamento em Nova York por 195 milhões de reais. Quem também tem residência na região é a modelo Adriana Lima.

 

 

A propriedade mede cerca de dois hectares e 200 pés de vista para o mar, além de conter um clube de campo privado, um campo de golfe e trinta casas de frente para a baía. Para proteger o local, há uma própria equipe de segurança que faz o monitoramento policial.

Mesmo com tantas comodidades que uma propriedade como essa tem a oferecer, Gisele e Tom planejam demolir o local, segundo jornais, para construir uma residência ecológica de última geração.

 

A lendária supermodelo Gisele Bündchen cobre a edição de abril da Vogue Hong Kong sobre sustentabilidade, estilizada em Dior. A glamorosa estrela brasileira – que alcançou a fama no final dos anos 1990 – é conhecida por seu trabalho ambiental altamente defendido, que inclui ajudar a plantar 40.000 árvores na Floresta Amazônica. Gisele é do Brasil, lar da maior floresta tropical do mundo, a Amazônia. Enquanto as mudanças climáticas e o aquecimento global se tornaram uma crise iminente que não pode ser ignorada, Gisele sempre se manifestou sobre as questões ambientais, atuando como Embaixadora da Boa Vontade das Nações Unidas desde 2009. A modelo e filantropa visitou pessoalmente a África e o Brasil em expedições voluntárias , ao mesmo tempo em que cria o Água Limpa com a família, projeto que busca purificar a água local, reconstruir o ambiente da floresta tropical brasileira e também trazer à tona a questão do desmatamento com o programa de educação Florestas do Futuro. A supermodelo abnegada comemorou seu 40º aniversário no ano passado plantando 40.000 árvores, ao mesmo tempo que se tornou a produtora executiva do documentário Kiss the Ground da Netflix.

Esta foto da capa está sendo filmada na Costa Rica, que é conhecida por sua beleza rústica. Por que você gosta tanto deste lugar? 

Tenho me encantado com a Costa Rica desde minha primeira visita lá. É um lugar apaixonado por proteger e preservar a natureza, por isso é o refúgio perfeito para mim. Ao longo dos anos, a pequena aldeia perto de onde moro cresceu muito, embora ainda tenha as características de uma pequena cidade do interior, e ainda não seja tão fácil de acessar – o que eu adoro! Estar no meio da natureza é meu lugar feliz. É onde me sinto mais como eu. Você cresceu no Brasil. Quando você se tornou ativamente consciente da importância da sustentabilidade? Eu cresci em uma pequena cidade no interior do Brasil e senti uma profunda conexão com a natureza durante toda a minha vida. Mas foi uma experiência que tive há mais de quinze anos que realmente me acordou. Em 2004, passei alguns dias morando com uma tribo indígena. Pude ver de perto como sua conexão harmoniosa com a natureza lhes dá tudo de que precisam para sobreviver. Também vi como os efeitos do desmatamento e da poluição da água os estavam deixando doentes e afetando negativamente seu modo de vida. A partir de então, eu sabia que precisava fazer algo – então comecei a usar minha plataforma para chamar mais atenção para a importância de preservar a natureza e nossos recursos naturais. Nossa saúde como humanos depende da saúde do planeta que todos compartilhamos.

Com seu alcance global, quais foram alguns dos destaques de sua luta nas mudanças climáticas? Você fez algum progresso? 

Tenho apoiado as causas ambientais desde o início dos anos 2000. Em 2009, comecei a trabalhar como Embaixador da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Minha parceria com o PNUMA me permitiu conectar-me com mais pessoas e criar maior consciência sobre a importância de proteger e sustentar nossos recursos naturais. Melhor ainda, pude aprender muito e conhecer tantas pessoas inspiradoras de todo o mundo que estão fazendo um trabalho maravilhoso em nome da humanidade e de nosso planeta. Isso me deixa extremamente esperançoso. A boa notícia é que hoje em dia as pessoas parecem muito mais conscientes e dispostas a fazer mudanças que irão beneficiar nosso planeta. O fato é que todos nós precisamos fazer isso antes de chegarmos a um ponto sem volta. Nossos recursos naturais são finitos, e o fato é que custa mais tempo e dinheiro restaurar a natureza do que preservá-la. Qual foi a sua conquista de maior orgulho em seus esforços de sustentabilidade e qual é o seu próximo plano de ação? Nas últimas duas décadas, trabalhei e apoiei uma série de projetos diferentes. Um que está especialmente perto do meu coração é o Projeto Água Limpa (Projeto Água Limpa). Desenvolvi com minha família na região do Brasil onde nasci e cresci. Sua missão é ajudar a melhorar a qualidade da água local para as gerações futuras. Com a coordenação de meu pai, minha família e eu plantamos mais de 40.000 árvores e também restauramos as margens de um dos principais mananciais da região. Um corredor ecológico foi criado, e tanto os animais quanto a biodiversidade voltaram. Minha família e eu pudemos ver em primeira mão como, com apenas um pouco de ajuda, a natureza é capaz de se regenerar. Para comemorar meu 40º aniversário no ano passado, doei 40.000 árvores na Floresta Amazônica em homenagem à Mãe Terra – e montei uma campanha separada para que meus amigos e todos que quisessem se unir e doar mais árvores. Em apenas alguns dias, o número de árvores cresceu para 260.000! Foi um ótimo exemplo de como podemos fazer muito mais quando trabalhamos juntos. No futuro? Meu plano é continuar aprendendo sobre a melhor forma de ajudar a proteger e regenerar a natureza.

Você é conhecido como uma pessoa voltada para a família. Que tipo de rotina você ensina a seus filhos sobre como incorporar a sustentabilidade em um estilo de vida diário?

Acredito que, como pais e pessoas, todos precisamos dar o exemplo. Se você praticar bons hábitos, eles se tornarão naturais, e até mesmo a norma, para seus filhos. Se você der a seus filhos a oportunidade de experimentar todos os incríveis benefícios que a natureza traz para nossas vidas, é mais provável que eles cresçam apreciando e respeitando a natureza também. Costumo dizer a meus filhos que você só pode amar e proteger algo que conhece. É por isso que passar o tempo na natureza, e realmente conhecê-la de perto, é tão importante. Em casa, nos concentramos nas coisas principais – reciclar, evitar plástico, não desperdiçar comida e dar coisas que não precisamos ou que não usamos mais. Essas coisas podem parecer pequenas, mas para as crianças, tornam-se hábitos que começam cedo e só ficam mais fortes com o tempo. Como resultado, as crianças crescem mais conscientes da quantidade de resíduos que os humanos geram e do efeito negativo que isso tem em nosso meio ambiente e, em última análise, em nossa saúde. Também mantemos uma horta em nosso quintal, o que tem sido um grande aprendizado para meus filhos. Por exemplo, é permitido que observem quanto tempo leva e quanto esforço é necessário para uma semente crescer e, eventualmente, se transformar no alimento que aparece em seus pratos. Como eu disse, se você puder expor seus filhos à natureza o mais cedo possível, eles crescerão entendendo a diferença entre prejudicar os ciclos da vida ou colaborar com eles.

Como você pratica ativamente a sustentabilidade na maneira e se vestir e como seu estilo pessoal evoluiu?

Sou uma pessoa muito básica! Na minha vida pessoal, gosto de ter peças-chave, junto com peças confortáveis. Nunca fui uma daquelas pessoas que sente a necessidade de atualizar seu guarda-roupa toda nova estação. Na verdade, minhas peças favoritas, e a maior parte do que está no meu armário, têm mais de dez anos. Acredito que uma forma de todos praticarmos um consumismo mais sustentável é escolhendo peças versáteis, de boa qualidade, que durem muito e possam ser usadas ano após ano. 

Quem são alguns designers de moda sustentável que você usou e gostou?

Uso muitas marcas diferentes, e novamente, no que diz respeito à moda, minha prioridade é a boa qualidade. Nos últimos anos, percebi que muitas marcas de moda estão tentando produzir roupas e outros produtos de forma mais sustentável. Não é um processo fácil, eu sei, pois requer muito investimento e pesquisa. Todo o ciclo da moda deve ser levado em consideração. Tanto as matérias-primas quanto o processo de produção e fabricação (incluindo tingimento e lavagem) devem ser analisados e compreendidos, e isso também inclui como essas mesmas roupas são descartadas. Esse movimento é necessário, e em muitos casos já está em andamento, mas vai se acelerar quando se tornar uma prioridade para os consumidores.

Conte-nos sobre sua beleza e hábitos alimentares que ajudam você a praticar o que prega?

Acredito que nosso corpo é nosso templo – e quanto mais cuidarmos dele, mais nosso corpo será capaz de cuidar de nós. Minha rotina para nutrir meu corpo, mente e espírito envolve comer produtos saudáveis que me façam sentir bem, e me deem o máximo de energia possível. Isso inclui muitas saladas, vegetais, frutas, nozes (e chocolate amargo, ei, o que posso dizer, isso me deixa feliz). Eu me exercito todos os dias, embora realmente dependa de onde estou. Gosto de mover meu corpo de maneiras diferentes, e isso pode incluir caminhar na praia, jogar vôlei, surfar, praticar ioga, andar a cavalo e dançar. Quanto aos meus próprios hábitos de beleza, bebo muita água, pois é importante para manter nosso corpo hidratado. Além disso, sabendo que nossa pele é o nosso maior órgão e absorve tudo o que colocamos nela, opto por produtos naturais, sem químicos, feitos por empresas sustentáveis.

Claro que tenho uma prática diária de meditação! Eu também faço questão de ler todos os dias o máximo de conteúdo positivo e inspirador que posso.

Você é conhecida como uma das verdadeiras ícones da modelagem. Que conselho você daria às modelos hoje, em um mundo onde a inclusão e a diversidade são mais procuradas do que nunca?

Uma coisa em que realmente acredito, e um conselho que sempre dei às modelos mais jovens é este: Conheça a si mesmo. Seja verdadeiro com quem você é. Cada um de nós é único e tem seu próprio dom especial para compartilhar com o mundo.

Você já visitou Hong Kong antes? Você sabia que mais de 70 por cento de nossa pequena cidade é realmente natureza?

Visitei Hong Kong apenas uma vez, mas me diverti muito quando estive lá! E não, não posso acreditar que 70 por cento da cidade seja natureza! Como eu disse antes, conectar-se com a natureza traz muitos benefícios para nossa saúde física e mental. Junto com minha família, nada me deixa mais feliz do que passar um tempo fora de casa.

Gisele e Tom compram casa em ilha de Miami
23, Jan
postado por Carolina

Segundo o PageSix, Tom Brady e Gisele Bündchen pagaram mais de 17 milhões de dólares por uma mansão em Indian Creek Island. O casal planeja demolir a casa atual e construir uma nova casa ecológica, de acordo com o jornal.

A nova casa da família

Indian Creek Island, uma ilha de 300 acres na baía de Biscayne, tem cerca de 30 casas. Os residentes ricos da ilha, que incluem o investidor bilionário Carl Icahn, a supermodelo Adriana Lima e o ex-CEO da Sears, Eddie Lampert, são protegidos por uma força policial privada de 13 pessoas que patrulha o perímetro por água e terra. 

No centro da ilha está um dos clubes de campo mais exclusivos da Flórida e um campo de golfe de 18 buracos.

 

Fonte: Business Insider

Gisele e Tom vendem sua mansão em Boston
23, Jan
postado por Carolina

Gisele e Tom Brady estão morando com os filhos na Flórida já há algum tempo e, recentemente, venderam a mansão da família localizada em Brookline, Boston.

A venda da mansão de 1.125 m² na 112 Woodland Road foi realizada na véspera de Natal, de acordo com os registros de terras de Massachusetts. 

O preço de venda não foi incluído no registro do terreno, mas a casa foi originalmente listada por 39,5 milhões de dólares e depois caiu para 33,9 milhões, antes de ser retirada do mercado no início da pandemia do coronavírus. A casa foi listada fora do mercado no final do verão no hemisfério com um novo preço, que não era de conhecimento público, mas os círculos imobiliários de Boston acreditam que a propriedade era oferecida por 32,5 milhões de dólares.

A venda sinaliza uma despedida oficial a Boston do icônico atleta e da modelo brasileira, que exibiu a propriedade no vídeo  de 73 perguntas da Vogue .

A casa de cinco quartos adjacente ao Country Club inclui uma sala de vinhos, estúdio de ioga, academia e casa de hóspedes. Sua venda também ocorre em um momento em que o mercado imobiliário da Grande Boston esquentou em meio à pandemia.

 

Fonte: Real Estate Boston

Essa matéria foi publicada originalmente pela Vogue americana e traduzida pela Vogue Brasil. Confira:

Quando Gisele Bündchen completou 40 anos em julho, ela decidiu plantar 40.000 árvores em homenagem ao seu aniversário e o número logo atingiu a meta de 250 mil mudas graças ao apoio de seus fãs.

Essa atitude é apenas a mais recente de uma longa linha de iniciativas ecológicas lançadas pela supermodelo brasileira, que é uma ativista ambiental há mais de uma década. Em 2009, Gisele foi designada Embaixadora da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e desde então vem ajudando a ONU a chamar atenção para as questões ambientais. Em sua função ela foi o rosto de várias campanhas da ONU e realizou missões de campo no Brasil e no Quênia.

De lá pra cá, Gisele vem falando do impacto devastador do desmatamento na Amazônia e recentemente serviu como produtora executiva do documentário da Netflix, ‘Kiss the Ground’.

Aqui, em um ensaio para a Vogue, Bündchen explica por que ela está determinada a deixar o mundo em um lugar melhor do que quando chegou, e como todos podem fazer sua parte quando se trata de lidar com a crise climática.

Aproveite e proteja o poder deste planeta

Nasci me sentindo profundamente conectada com a natureza que é o lugar que vou para me recarregar. Eu venho de uma pequena vila no sul do Brasil. Durante as férias escolares, minha mãe costumava deixar eu e minhas irmãs na casa da minha avó. Eu adorava visitá-la porque ordenhávamos as vacas pela manhã, recolhíamos os ovos das galinhas e ajudávamos a cuidar do jardim onde ela a cultivava vegetais e ervas. Minha avó tinha um grande apreço pela natureza e cultivava tudo o que comia – era bonito.

Embora eu tenha tido esse amor pela natureza minha vida inteira, tudo ganhou mais sentido quando visitei a floresta amazônica pela primeira vez em 2004 e percebi que, embora vasta, [a natureza] é muito mais frágil do que pensava. Passei um tempo com a tribo Kisêdjê na região do Xingu. Essas pessoas incríveis respeitam e estão em sintonia com a natureza. Eles vivem da natureza, mas não pegam mais do que precisam. Mesmo assim, sua sobrevivência estava ameaçada por causa do desmatamento e da mineração, que estava contaminando seu abastecimento de água.

Senti que precisava fazer algo para ajudar, então comecei a apoiar projetos para ajudar os indígenas que vivem na região, aqueles que entendem o valor dos recursos naturais. A única razão de estarmos vivos é porque a Mãe Natureza está nos dando tudo que precisamos para sobreviver. O que nós fazemos? Nós apenas pegamos. Nós, como humanos, acreditamos que tudo está aqui para nos servir, mas isso não é verdade. A terra é um ser vivo. É importante para nós entendermos a sorte que temos de viver neste lindo planeta com todos esses recursos incríveis.

A razão pela qual estou trabalhando para proteger o planeta é que quero servir à sobrevivência humana e à saúde de todas as espécies. Se nós não cuidarmos dos presentes que o planeta está nos dando, e se não vivermos em harmonia com todas as diferentes criaturas deste planeta, seremos nós que iremos embora. O planeta não precisa de nós para sobreviver, mas nós precisamos do planeta. Como humanos, precisamos despertar para isso.

Deixando o mundo em um lugar melhor

Ter meus próprios filhos tornou meu trabalho ambiental muito mais urgente. Não levamos nada conosco, então o que realmente importa é o que deixamos para trás. Quero tornar o mundo melhor para todas as crianças e deixá-las com as ferramentas certas para que possam continuar a aproveitar todos os tesouros da Terra e deixarem um impacto positivo em nosso mundo.

Com as crianças, o mais importante é dar o exemplo. Nós temos um jardim em casa, onde as crianças podem ver e entender quanto tempo leva para a vida crescer. Eles aprendem sobre como comer sazonalmente. Eles aprenderam que eu não compro morangos fora da estação. Eles sabem que o plástico é um grande problema. Mostrei a eles vídeos de baleias sendo encontradas no oceano com plástico dentro da barriga. Como eu, eles se tornaram sensíveis a essas coisas. É importante que eles entendam como a natureza funciona. Assim que sentirem a magia da natureza, eles vão adorar e, como resultado, vão protegê-la.

Tudo que eu escolho fazer na minha vida e no meu trabalho tem um propósito: “Como posso deixar o mundo um pouco melhor do que quando cheguei nele? Posso sentar aqui e reclamar de tudo que há de errado no mundo, mas isso não vai mudar nada. Se quisermos mudar o mundo, primeiro devemos mudar a nós mesmos.

Todos nós podemos fazer parte da solução

No meu aniversário de 40 anos, em julho, decidi plantar 40.000 árvores e convidei todos os meus fãs para participarem. Imagine se cada uma das 7,5 bilhões de pessoas que vivem neste planeta plantarem uma pequena árvore em homenagem a suas vidas. Na verdade, teríamos então sete bilhões e meio de novas árvores a cada ano. Em muito pouco tempo, regeneraríamos a Terra.

Essa ideia de regenerar a Terra também é o motivo pelo qual estou envolvida como produtora executiva do documentário da Netflix. ‘Kiss the Ground’ é um filme sobre agricultura regenerativa: como podemos cultivar alimentos e alimentar o solo, não apenas retirar nutrientes dele? Como podemos produzir alimentos de maneira sustentável? A ideia é tão inspiradora e voltada para soluções que o filme deixa os espectadores esperançosos e me fez sentir assim.

Na última década, fui embaixadora da boa vontade global para o Programa de Meio Ambiente da ONU. Durante esse tempo, aprendi coisas maravilhosas com uma grande variedade de seres humanos em todo o mundo aprendendo a superar desafios relacionados alimentos e água, e como chegar em soluções sustentáveis. É inspirador. Eu sou grata em poder usar minha plataforma para divulgar essas informações e conscientizar mais pessoas dessas questões.

Espero que todos possam se dar conta de que não podemos considerar a Mãe Terra como imortal. Este lindo planeta não é apenas nossa casa, é nossa fonte de vida. Cada um de nós pode fazer algo para contribuir para sua integridade. Podemos nos perguntar: ‘Que papel posso desempenhar para criar um impacto positivo no mundo?’ Cada ação e cada escolha que fazemos tem um impacto. Você quer fazer parte da solução ou parte do problema? Essa é uma decisão que cada um de nós deve tomar. Minha esperança é que todos comecemos a servir à vida.

Meu objetivo final é proteger nosso lindo planeta para meus filhos, para todas as crianças e por muitas, muitas gerações.